SQL Server – Como recuperar o código-fonte de um objeto criptografado (WITH ENCRYPTION)

SQL Server – Como recuperar o código-fonte de um objeto criptografado (WITH ENCRYPTION)
5 (100%) 1 votos

Olá pessoal,
Tudo bem com vocês ?

Neste post eu gostaria de demonstrar a vocês Como recuperar o código-fonte de um objeto criptografado (WITH ENCRYPTION) no SQL Server. Quantas vezes eu já vi programadores criptografando objetos no SQL Server na falsa esperança que esse código realmente vai ficar protegido contra alterações e visualizações por parte de outros usuários.

Introdução

Para os que já trabalham na TI há algum tempo, acho que é unanimidade entre eles de que não existe proteção de código-fonte realmente efetiva.. Se você programa em .NET, tem o JetBrains dotPeck. Se você criptografa seus objetos no Oracle Database, existe o site Unwrap It! que quebra essa criptografia ONLINE. No PHP, já utilizei o Zend Guard para criptografar os arquivos fonte e existem ferramentas online que também quebram a criptografia.

No SQL Server isso também não é diferente. Existem inclusive, ferramentas (Redgate SQL Prompt, ApexSQL Complete e várias outras) que fazem isso pra você de forma automática, mostrando o código-fonte de objetos criptografados de forma tão natural e transparente que você nem percebe que o objeto era criptografado.

Embora seja possível quebrar a criptografia de objetos no SQL Server, isso não significa diretamente uma falha de segurança. Para que seja possível quebrar essa criptografia, você precisará utilizar uma conexão DAC, o qual já expliquei como habilitar e utilizar no post Habilitando e utilizando a conexão remota dedicada para administrador (DAC) no SQL Server.

A conexão DAC é uma conexão dedicada para sysadmins (o que limita bastante os usuários que podem realizar esse procedimento) que precisam se conectar em instâncias que estão enfrentando problemas que impedem novas conexões, como por exemplo, limite de usuários simultâneos da instância atingido.

Como a forma de conexão é diferente (inclusive usa uma porta dedicada), essa conexão “especial” fica sempre disponível, mesmo nessa situação. Vale ressaltar que essa conexão só permite 1 usuário conectado por vez, então se alguém já está conectado, outra pessoa não vai conseguir utilizá-la.

Todo esse requisito de utilizar a conexão DAC é simplesmente para que você consiga ler os dados da tabela sys.sysobjvalues. Mesmo que você seja sysadmin, você só conseguirá acessar os dados dessa tabela utilizando a conexão DAC.

Exemplo SEM utilizar a conexão DAC

Msg 208, Level 16, State 1, Line 16
Invalid object name ‘sys.sysobjvalues’.

Exemplo utilizando a conexão DAC

O SQL Server utiliza o algoritmo de criptografia RC4™ stream cipher para criptografar objetos e armazena esses dados na coluna imageval da tabela sys.sysobjvalues. Neste post, vou demonstrar uma algoritmo que permite recuperar essa informação e retornar o código-fonte original do objeto criptografado.

Como criar uma SP criptografada

Para este post, vou criar uma SP bem simples e criptografada, e vou demonstrar como obter o código fonte dela.

Como vocês podem observar abaixo, não é possível visualizar o código-fonte de um objeto criptografado utilizando a view sys.sql_modules, mesmo que você seja membro da role sysadmin.

Nem mesmo utilizando a procedure de sistema sp_helptext é possível obter o código-fonte desse objeto, retornando a mensagem de alerta “The text for object ‘dbo.stpTeste_Decrypt’ is encrypted.”, conforme podemos visualizar abaixo:

Quebrando a criptografia de objetos pelo SSMS

Parar quebrar a criptografia de objetos pelo SQL Server Management Studio (SSMS), inicie uma conexão DAC na instância desejada. Para isso, basta adicionar o prefixo “ADMIN:” antes do nome da sua instância, ficando assim: “ADMIN:servidor\instancia”, conforme a imagem abaixo:

Agora utilize o código abaixo e você já poderá visualizar o código-fonte do seu objeto criptografado.

Código-fonte

Resultado:

Quebrando a criptografia de objetos pelo CLR (C#)

Agora que te expliquei como quebrar os objetos, vou te mostrar uma solução mais prática e funcional no dia a dia, e que você pode permitir que até mesmo usuários que não sejam sysadmin consigam visualizar o fonte de objetos criptografados, e sem precisar que você abra uma nova conexão DAC, podendo ser até mesmo de outro servidor ou instância.

Para isso, vou utilizar o CLR para realizar a conexão via DAC, utilizando um usuário sysadmin. Com isso, mesmo que a pessoa não seja sysadmin, basta que ela tenha permissão nessa função, ela poderá visualizar o fonte de objetos não criptografados. Para quebrar o código, vou utilizar o mesmo código mostrado acima, apenas executando ele pelo CLR (C#) em uma conexão DAC, transparente para o usuário que está utilizando a função.

Código-fonte

Após criar a função no seu projeto CLR e publicar a alteração, vamos utilizá-la:

Vale lembrar que nessa solução, o usuário que for utilizar a função não precisa (e nem deve) estar utilizando uma conexão DAC.

Referências:
https://sqlperformance.com/2016/05/sql-performance/the-internals-of-with-encryption
https://www.codeproject.com/Articles/5068/RC-Encryption-Algorithm-C-Version
https://sqljunkieshare.com/2012/03/07/decrypting-encrypted-stored-procedures-views-functions-in-sql-server-20052008-r2/
https://pt.linkedin.com/pulse/uma-procedure-criptografada-e-agora-f%C3%A1bio-oliveira

É isso aí, pessoal!
Espero que tenham gostado desse post e até a próxima.

SQL Server how to retrieve view get decrypt stored procedure source code encrypted objects WITH ENCRYPTION

SQL Server how to retrieve view get decrypt stored procedure source code encrypted objects WITH ENCRYPTION

SQL, sql server, sql server 2008, sql server 2008 R2, Oracle, Oracle Database, Oracle 11g, Oracle 10g, Oracle 12c, MySQL, Firebird, Consultoria, Consultor, Programador, Programação. Desenvolvedor, Analista de Sistemas, DBA, Criação de website, Criação de Sistema Web, Vitória, Vila Velha, Guarapari, Espírito Santo, ES, Consultoria SQL em VItória, Treinamento, Curso, Prestação de serviço, prestar serviço, freelancer, freela, banco de dados, consultoria em banco de dados, consultor de banco de dados

Deixe uma resposta